quarta-feira, 6 de dezembro de 2017

Dia 1 de 206

Hoje, mais do que ontem e talvez mais do que em qualquer outra fase da minha vida, sinto necessidade de regressar à escrita.
Esta que me tem ajudado a limpar a alma e com ela a arrumar os meus dias.
A falta de tempo tem sido uma desculpa constante nas minhas rotinas, e essa tem de se afastar de vez, para me libertar e me amparar, volto hoje a atirar os pensamentos para o “papel”.
Nem sempre acredito em mim e nas minhas capacidades, sei que, sou a minha melhor companhia, mas nem sempre é claro que o caminho que estou a fazer é o mais correto, sou na realidade um poço de inseguranças.
Numa recente formação que estou a tirar de PNL, ou por outras palavras Programação neurolinguística, regressei à necessidade de definição de metas e objetivos, para nos superarmos. Julgo que esta formação, para além, de uma excelente partilha de vivencias, é sobretudo uma redescoberta de mim própria.
Regressar às minhas raízes, para regressar à serenidade.
Recentemente fui promovida no posto de trabalho, e o que inicialmente me pareceu uma excelente noticia, rapidamente se tornou um poço de problemas e dores de cabeça. Contudo, acredito que vou ser capaz de superar o objetivo.
Assim, defini que para o ano de 2018 as minhas metas Major são:
- Deixar de fumar;
- Cumprir o grande objetivo definido para a minha equipa;
- Fazer com que a minha equipa seja feliz e realizada.
Dia a dia, vou semear, para que em junho as metas sejam totalmente alcançadas.

Hoje é o dia 1, e aí vou eu arregaçar as mangas…

segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

E esta hein???

2016 é o ano:

Estou farta que este vicio me domine.
 
Gosto do prazer de fumar um cigarro, sem dúvida, mas o mal que me faz não justifica o prazer que me dá.
 
- A pele está diferente, sinto-a mais envelhecida;
- O cheiro que fica na pele, na roupa, no cabelo é horrível;
- O dentes ficam mais escuros;
- Sinto picadelas no peito;
- Que vantagens isto tem??? apenas o prazer que me dá e a sensação errada de me aliviar a ansiedade e o stress.
 
A luta começou ontem, e sei que a vou ganhar, afinal quem manda? Eu ou cigarro


segunda-feira, 4 de janeiro de 2016

Oh tu que me irritas


 Irritas-me tanto, tu…

Especialmente porque fechaste um livro sem te dares ao trabalho de percorreres as suas folhas, leres as suas frases e poderes saborear o prazer da felicidade.

És parecido comigo, sei-o sem mesmo te conhecer, estranho isto não??? Poderá ser a vontade profunda que o sejas, sem que o sejas de verdade?

Sinto-te, na tua solidão, nessa tua imensidão enterrada na solidão dessa tua vida de contemplação.

Sinto-te nessas tuas observações exageradas da vida real.

Sinto-te nessas tuas incertezas.

Sinto-te nesses teus medos.

Sinto-te nessas tuas indecisões que te impedem de agarrar a vida.

Sinto-te as dores, porque são também elas as minhas dores, sei-o sem nunca me teres falado nelas.

A minha sede de te abraçar não consegue derrubar a barreira do medo de te olhar.

Foram já tantos anos sem este sentimento, que não sei como o guardar em mim, sem que ele me sufoque.

Algo me atraí a ti, como um íman, uma qualquer espécie de feitiço que não consigo decifrar.

És parecido comigo, sei-o sem mesmo te conhecer….

Como uma alquimia qualquer trago-te em mim, guardado como uma recordação de algo que nunca existiu.
Que força é esta que me impele a ti?
 
 

2016 aí vou eu


Como a tradição ainda é o que era aí venho eu estabelecer as minhas metas para o novo ano.

Finalmente o objetivo emagrecer já não está na listagem, pois consegui perder nada mais, nada menos do que 11 kg em 2015, YUPIIII.

- DEIXAR de FUMAR (porquê as maiúsculas??? Porque tem de ser este ano e o mais brevemente possível);

- Retirar este maldito aparelho ortodôntico

- Ler mais

- Ir mais ao cinema

- Estudar mais

- Organizar-me mais

- Estar mais com os amigos

- Viajar mais

- Rir mais
 
- Escrever mais

- Abraçar mais

- Ser mais Feliz

- Arriscar mais
 
- Deixar-me de merdas (literalmente), pensar que só vivemos 1 vez.
Acho que é tudo, pelo menos para já J

segunda-feira, 28 de setembro de 2015

Onde estás tu agora?

Crias-me um nó na garganta, que se prolonga para o peito, criando uma espécie de formigueiro na barriga, fazes-me ruborescer, introduzindo em mim uma estranha sensação eletrizante, e mal te conheço.

Posso, até contar pelos dedos de uma mão, as vezes que te vi ao vivo e a cores, na tua magnitude, e ao mesmo tempo com uma simplicidade majestosa.

É esse teu elixir que me encanta, julgo eu, na verdade não sei bem o que me atrai em ti, mexes comigo e pronto. È este enigma que faz de nós seres humanos, uma espécie estranha.

Mal te conheço, posso até mesmo afirmar que não te conheço de todo, e no entanto, não me sais do pensamento.

Apareceste-me tão inesperadamente, que nem te apercebeste da tua força no meu ser.

Vieste despertar em mim uma sede de vida, que não me recordava que poderia existir. Colocava até a hipótese de tal facto já não ser possível de todo, e tu vieste-me provar o contrário.

Apareceste, desapareceste, mesmo sem teres aparecido, voltaste a aparecer e da forma mais encantadora, como só os cavalheiros sabem fazer. E eis que quando menos esperava voltaste a desaparecer, tão subitamente, tão repentinamente, de uma forma tão inesperada que quase me quebrou.

É essa forma de estar, de viver, de sentir, tão indecifrável, que me inquieta.
Por onde tens andado?

O que tens visto?

O que tens sonhado?

Onde estás tu agora?

Perco-me ao procurar-te, desvio as atenções das minhas prioridades, dos meus objetivos, daquilo que me faz ser quem sou, e para quê? Apenas para te procurar a ti, que mesmo procurando e procurando nunca te encontro.

terça-feira, 8 de setembro de 2015

Já lá vão 5kg


Depois de muitas tentativas falhadas, eis que algo mudou na minha vida. Perdi 5 kg, já estou de regresso aos 60kg, algo que nunca pensei possível, mas afinal quando queremos muito algo, conseguimos. Claro para que tal aconteça também temos de fazer alguma coisinha, o tempo dos milagres já era.
Depois de muita espera para acordar um dia, olhar ao espelho e ver que durante a noite todos os excedentes tinham desaparecido, desde a celulite, os pneus o duplo queixo e por aí fora, entendi que nada iria mudar se não fizesse um tratamento de choque.
Confesso que iniciei o processo um bocado às escuras e até com alguns receios, mas não é que tem funcionado, um autêntico milagre.
Ora vamos lá apontar para não me esquecer nunca da fórmula.
- Todo o processo é acompanhado por uma nutricionista/ dietista, o que ajuda bastante, pois como um sargento não nos deixa prevaricar. O seu olhar é feroz, sempre com aquele arzinho de “não vê como é fácil esta alimentação, não quer eliminar esses excessos horríveis”, o sentimento de culpa invade-nos e a força ganha uma enorme dimensão;
- Na primeira fase iniciamos com o detox, ou seja 3 dias em que devemos comer apenas fruta e legumes, claro tudo acompanhado de um drenante e vários suplementos, para conseguirmos aguentar. Confesso que não achei assim tão complicado quanto o que me pareceu inicialmente.
- Depois podemos comer carne branca e peixe, acompanhado de legumes, mas sem fruta, ao longo de 1 semana. Tudo o que sejam hidratos de carbono são retirados.
Nesta fase perdi 1,800kg.
De seguida vamos introduzindo novos legumes e alguma fruta: laranjas, maças, kiwis ou ameixas.
Até que chega a vez da sopinha, mas feita apenas com a base de curgete, nabo e lho francês, adicionando uma verdura, como gosto do espinafre, será a minha adição.
Apesar de ser uma dieta um bocado restritiva não é complicada de fazer, porque vamos notando logo os resultados, o que dá uma motivação extra.
Ainda preciso de perder 5Kg, e vou fazer os possíveis por conseguir, afinal já estive mais longe de alcançar o objetivo, ou seja 55 kg.
Os métodos vão continuar até conseguir.
E o mais giro é que agora invento receitas maravilhosas, rápidas, deliciosas e o melhor é que são mega saudáveis.

terça-feira, 1 de setembro de 2015

Será que sou só eu?

Estou absolutamente farta do meu trabalho, não consigo já raciocinar. Claro que os factos tornam-se bem deprimentes.
Facto 1: Portugal atravessa uma crise enorme que não nos permite grandes aventuras;
Facto 2: Tenho contas para pagar o que torna tudo bem complicado;
Facto 3: Tenho medo das mudanças e de arriscar no incerto;
Facto 4: Apesar de todos os factos anteriores se não mudar esta situação fico bem mais maluca.
Facto 5: Já comecei a candidatar-me a ofertas de emprego.
Facto 6: Conseguir ser chamada para uma entrevista é quase um milagre.
Facto 7: Se for chamada vou fazer os possíveis e impossíveis para mudar esta situação.